MariCoin, a criptomoeda chega ao mundo LGBTQIA+3 min leitura

montagem LordcryptoBR

Uma das coisas que sempre destacamos aqui é o potencial de disruptura que os criptoativos trazem não apenas ao sistema financeiro, mas também às relações de poder e mobilidade social de forma inédita na história. Agora chegou a vez do chamado “pink money”, o mercado de circulação e consumo em torno das comunidades LGBTQIA+ mirar sua revolução e expansão a partir das criptos.

Aliás, pensamos que até demorou para isso começar a se materializar e virar notícia. Como sabemos que os nichos de mercado são naturais beneficiados pelas criptos, já havíamos pensado na criação de um token para servir à essa comunidade, mas pensado bem, é melhor que essas iniciativas voltadas para nichos comunitários, partam sempre de dentro deles mesmo.

O “pink money” é um mercado de trilhões de dólares, para se ter ideia, se fosse o PIB de um país seria o quarto do mundo…

A “criptonovidade” vem da Espanha, é o MariCoin, sacada inspirada em “marico”, expressão em língua espanhola, em geral usada pejorativamente para se referir aos gays, mas também apropriada e resignificada pela própria comunidade, combinada com a terminação comum à boa parte das criptmoedas.

Moeda utilizável ja em mais de 25 estabelecimentos do país desde o início do ano, seus criadores pretendem torná-la a criptomoeda de referência desse grupo em todo o mundo. Surgida no bairro de Chueca, em Madri, com tecnologia Algorand (já falamos dela aqui no site), seu objetivo é entrar na Binance, a maior ‘bolsa’ do mundo, e financiar o Gay Pride 2022.

Como a maioria das altcoins (moedas alternativas ao Bitcoin, a MariCoin é, tem sua cotação livre, baseada na oferta e procura, não é “lastreada” em paridade 1:1 com moedas fiduciárias fortes como o dólar (as stable coins). Na fase pré-lançamento, cinquenta MariCoins equivalem a um Euro.

Twitter oficial do projeto

Surgiram algumas insinuações de que a moeda seria um SCAM (golpe), mas dado o envolvimento de empresas estabelecidas participantes do teste piloto e a característica afirmativa do projeto, além da liderança não “anônima” é muito pouco provável algo intencionalmente fraudulento. O que pode acontecer é o insucesso normal na evolução de muitos projetos, mas até isso é improvável, já que o próprio mercado e função do ativo, já são “bons fundamentos”.

A ver…

Palavra de Lord ?️

Gostou do conteúdo ? Comente aí em baixo e aproveite para assinar o site e receber as atualizações no seu email.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *